sexta-feira, 1 de junho de 2012

Weber


Para Max Weber, o objeto de estudo da sociologia é a ação social. Este conceito, para ele, é definido como a ação do indivíduo orientada por uma conduta. Weber demonstra os quatro tipos de ação social: ação racional com relação a fins; ação racional com relação a valores; ação tradicional; e ação afetiva. Na primeira, o indivíduo traça um objetivo e interliga com o necessário para alcança-lo. Na segunda, a pessoa age segundo princípios e valores que julga ser o correto. Na terceira, a ação tem como base costumes e tradições possuídos pelo ser. E, por último, esse tipo de ação é motivada por emoções imediatas.

Segundo Weber, a imposição da própria vontade de um indivíduo em uma relação social é denominada de imposição. Já o cumprimento de um mandamento é chamado de dominação. Ele ainda divide a dominação legítima em três tipos: tradicional, carismática e legal. Na primeira, a base são as tradições. A segunda baseia-se na confiança que se tem em alguém. E a terceira está apoiada sobre a sua legalidade. Para Weber, a dominação é o que mantém as relações sociais e as sociedades.

Weber em sua obra “Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo” demonstra como o protestantismo foi fundamental para o desenvolvimento do capitalismo. Fatores como o lucro não ser pecaminoso, abominação ao ócio, desvalorização das produções artísticas são exemplos de atitudes que favorecem a formação da sociedade capitalista.

O “desencantamento do mundo”, segundo Weber, seria caracterizado pela fuga das tradições, religiões e valores morais consequentes desses arraigados nos indivíduos. Seria a racionalização das instituições e sociedade moderna.



Nenhum comentário:

Postar um comentário